Francesco Totti

NO TOTTI NO PARTY! Jogador de classe cristalina, de rara genialidade associada ao uso perfeito de ambos os pés e uma visão de jogo espetacular.

Francesco Totti, romano, romanista e depois italiano. É foi e sempre será uma lenda que durará por todos os séculos dos séculos. Campeão do mundo de 2006 com a camisa da Itália, sendo um dos jogadores mais decisivos daquela copa com vários pinos no pé recém colocados em dois meses de recuperação relâmpago. Foi indicado pelo próprio Edson Arantes do Nascimento, vulgo Pelé, juntamente com a FIFA como um dos melhores jogadores do mundo de todos os tempos.

Para nós, sortudos deste século e desta época, o melhor talento em circulação dos últimos tempos que já existiu. Assistências iluminadas, toques de primeira, sem nem mesmo olhar para o jogador de destino, tanto é sua certeza do passe preciso, e gols que são verdadeiras obras de arte de ficar admirando por horas.

O Bimbo D'Oro, Er Pupone (piazão forte) apelidos confiáveis que o próprio Mimmo Ferretti o atribuiu. Nascido e criado no bairro de Porta Metronia, é um giallorosso DOC e capitão exemplar além da altura de Attilio Ferraris IV, Fulvio Bernardini, Agostino Di Bartolomei e Giuseppe Giannini.

Estreou na Série A com apenas 16 anos como uma grata surpresa, em Brescia quando todos acreditavam que entraria Muzzi, Francesco entrou em campo a pedido de Carletto Mazzone, seu primeiro tutor. Mas o destino quase foi cruel com os romanistas: um outro Carlos, o argentino Bianchi, recém chegado ao comando técnico do time fez de tudo para tirar Totti do elenco, pois queria Litmanen no seu lugar e quase fôra transferido para a Sampdoria.

Já com Zdenek Zeman, que substituíra o confuso técnico argentino, Totti teve todo espaço para demonstrar seu nobre talento. A consagração viria então com a chegada de Fabio Capello. Personagem sensível, tímido de rica romanidade, aquela mais bela, expressa através de gestos e frases que ficarão pra sempre na memória do nosso futebol. Sobre ele, uma gigantesca série de volumes escritos, endereçadas a todo tipo de público e algumas obras de tirar o chapel no âmbito social.

Dotado de forte potência no chute e grande capacidade de precisão no alvo, de variadas distâncias, é o maior artilheiro da Roma, além de atual segundo maior goleador da Itália, dono de todos os recordes com a camisa romanista, também o mago do "cucchiaio" (colherzinha), a famosa cavadinha que faz a bola maliciosamente derrubar qualquer espírito de goleiro aventureiro atento ou não.

Se alguns jogadores são considerados pintores do futebol, já que estamos falando de arte italiana, Totti pintou toda a Capela Sistina e ainda esculpiu boa parte da "Pietà". Como dizia, Totò (Ughetto Bertucci), celebre figura do mundo do cinema, em "Fifa e arena": "Que fenômeno!".

Cada partida uma surpresa, mesmo quando joga abaixo da sua potencialidade é sempre nota oito nas considerações finais. Zeman neste sentido sempre teve razão a respeito de Francesco. Não se vê com freqüência um jovem milionário como ele se divertir jogando bola como um piá em um campo de periferia. Diego Armando Maradona afirmou que igual a Totti nenhum outro jamais.

B I O S
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz