SEM PERSPECTIVAS...
Acredito que a maioria dos torcedores da Roma já amanheceram melancólicos hoje, essa é uma Roma que não transmite esperança nenhuma, time fraco, sem brio, com um comando meia-bomba do Di Francesco. Em campo não foi diferente, a Juve pressionou a Roma o primeiro tempo inteiro, até conseguir seu golzinho. No segundo tempo a Juve recuou e a Roma pôde ficar com a bola, o que não significou nada, visto que nossa meia cancha com Cristante e Nzonzi não cria N A D A. Não fosse o VAR e o Olsen o vexame teria sido ainda pior. Tá complicado, não vejo uma saída e nem sinais de melhora num futuro tão próximo... e ver a Roma estacionada na tabela ao lado da Atalanta é muito triste.

Síntese: Il Messaggero

Resolve Mandzukic, bianconeri campeões de inverno.

Por: Ugo Trani

TURIM Nada a favor, a Roma cai novamente no Stadium: 9 derrotas em nove visitas. O placar, 1 a 0 o quarto consecutivo. Mas é Olsen a segurar a partida para seus companheiros com pelo menos 4 intervenções espetaculares, 2 sobre Alex Sandro e 2 sobre Ronaldo. Allegri, em suma, vence com mérito o duelo com Di Francesco e, com 2 turnos de antecedência, é campeão de inverno. E sobretudo humilha o colega: depois de 17 rodadas, destaque de 25 pontos. Mais que o dobro, na noite pela qual o técnico giallorosso se apresenta em Turim para defender-se muito além. O 3-5-2 do primeiro tempo enviou para o saque CR7, Dybala, Matuidi, Mandzukic e Alex Sandro.

ERRO DE SEMPRE

A derrota foi certificada pela enésima distração. De dupla. Zaniolo perde bola e Santon se adormenta. Olsen, em suma, não basta e Mandzukic deixa novamente sua marca: 9º gol na temporada, repetindo de cabeça a proeza decisiva de sempre aqui contra a Inter. Santon tratado como Asamoah. A Roma paga aquela dupla gafe: 8ª derrota na temporada (5ª no campeonato) e 10ª posição na classificação. O gol é a síntese de quanto se viu no primeiro tempo: os giallorossi jamais eficazes, com Schick abandonado no ataque. Apenas Under tentou ajudar o centroavante. E Zaniolo foi o único a dedicar-se na pressão para frear a onda bianconera.

MUDANÇAS AS PRESSAS

Di Francesco, depois do intervalo, repartiu com o 4-2-3-1. A Roma acuada do primeiro tempo reencontrou rapidamente a coragem no segundo tempo com Kluivert no lugar de Florenzi. Olsen fôra novamente decisivo sobre Ronaldo, além de 2 esplendidas defesas, mas os giallorossi não desfrutaram a grande noite do goleiro. Subiram a marcação restando porém impotentes inclusive quando entraram Perotti no lugar de Under e Dzeko no de Nzonzi. Chance reduzida ao mínimo com cabeçadas de Fazio e Cristante bloqueadas por Szczesny. Nos acréscimos Giacomelli, o Var do match, sugere ao arbitro Massa não validar o gol de Douglas Costa: falta de Matuidi sobre Zaniolo. Depois do Natal, o Sassuolo no Olímpico (26 de dezembro) e o Parma no Tardini (29): 2 jogos que incidirão sobre o futuro de Di Francesco.

@utti60

JUVENTUS (433): Szczesny; De Sciglio, Bonucci, Chiellini, Alex Sandro; Bentancur, Pjanic (25' s.t. Emre Can), Matuidi; Dybala (34' s.t. Douglas Costa), Mandzukic, Ronaldo. A disp.: Perin, Pinsoglio, Benatia, Khedira, Kean, Rugani, Bernardeschi, Spinazzola. Téc.: Massimiliano Allegri

ROMA (4231): Olsen, Santon, Fazio, Manolas, Kolarov, Cristante, Nzonzi (80' Dzeko), Under (71' Perotti), Zaniolo, Florenzi (46' Kluivert), Schick

Cartões: 40’Nzonzi, 81’Schick, 90’Zaniolo

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz