MAIS UM DESASTRE
A Roma costuma não perder uma oportunidade de causar uma surpresa aos seus torcedores. O problema é que essas surpresas geralmente são negativas. A Coppa Italia era um sonho de um título depois de mais uma década sem erguer uma taça. Mas, mais uma humilhação surpreendente arrebatou as chances do time. Após tanto tempo batendo na trave e caindo de joelhos, a pergunta que se impõe é: por que ainda seguimos nessa?
Ian

Furacão Chiesa sobre Di Francesco. O atacante viola faz três, Simeone dois, Muriel e Benassi completam o massacre: giallorossi derrotados e humilhados no Franchi.

Por: Vladimiro Cotogno

ROMA - Fiorentina endiabrada, espumante, esmagadora; Roma abatida, humilhada, aniquilada. Um resultado, o sete a um do Franchi, que exalta o grande momento da equipe de Pioli - fisicamente transbordante e carregada psicologicamente com a chegada de Muriel, até agora o grande golpe de mercado de janeiro na Serie A - e que se abate como um furacão sobre a frágil serenidade que Di Francesco havia penosamente construído e mantido em pé nestes meses e que agora está em pedaços, já rachada pelos resultados do inicio do ano. Pastore e Shick - jóias dos dois mercados estivos de Monchi - que novamente não encontram alma bem colocação, um meio campo em contínua agonia, uma defesa que exala embaraços sob a água de Florença e que naufraga nas ondas violas: inclusive as cifras são impiedosas, doze os gols sofridos em três partidas de uma equipe que parecia a deriva e que sai do Franchi com um resultado que revoga noites ainda mais tristes.

CHIESA AVASSALADOR, DEDICATÓRIA A ASTORI - Logo se nota Zaniolo com uma conclusão, mas o palco cênico é tomado por Chiesa: o atacante é uma espinha no flanco para a defesa giallorossa, depois de três minutos assusta Olsen lascando a trave de fora da área e depois dos sete minutos leva a frente a Fiorentina, finalizando uma grande bola de Mirallas que escapa em velocidade de Florenzi no final de um contra-ataque esmagador. Grande movimento do atacante viola na ocasião do gol, com Kolarov ausente em fase de retorno e com Fazio ludibriado pelo corte do adversário, comemorando com os braços para o céu e os dedos formando o número 13 de Astori. A Roma tem logo em seguida a ocasião para o empate, mas a trave nega a cabeçada de Cristante, enquanto ninguém para Chiesa, transbordante, lançado mais uma vez por Mirallas em contrapé: Kolarov erra o tempo da linha de impedimento, o número 25 voa para a área de Olsen e o supera com uma cavadinha. É o minuto 18.

KOLAROV ENCURTA, TRIS DE MURIEL - Vitor Hugo se lesiona, Laurini entra e Milaenkovic fica de central com Pezzella. A Roma acorda com Kolarov, bravo a seguir a ação ofensiva e a se centralizar seguindo a sugestão de El Shaarawy, disparando uma esquerda sobre o qual Lafont nem mesmo reage. Partida reaberta aos 28’, mas liquidada cinco minutos depois por Muriel: Biraghi deixa Florenzi para trás no um contra um e coloca no meio, o colombiano conduz a bola que, cúmplice de um desvio, engana Olsen para o terceiro da Fiorentina. 3 a 1 com o qual se vai para o intervalo inclusive depois de uma defesa de Lafont instintiva depois da cabeçada de Schick, único perigo criado pelo tcheco.

BENASSI CRUEL, ROMA NO BURACO - Di Francesco muda: coloca Pellegrini no lugar de Nzonzi e Dzeko para saída de Pastore. Chiesa se lesiona em um contraste, mas range os dente e permanece em campo com uma faixa no joelho, Lafont salva uma cabeçada de Zaniolo entre as poucas notas positivas giallorosse, mas é mais uma vez a Fiorentina a marcar: El Shaarawy e Cristante erram feio em fase defensiva, Muriel agradece e serve uma bola perfeita para Benassi que com um diagonal decreta o poker viola.

VERMELHO PARA DZEKO, TRIS DE CHIESA, DE ROSSI EM CAMPO - Roma no tapete, saltam os nervos de Dzeko que leva cartão vermelho direto por uma palavrinha a mais para o juiz do jogo. Giallorossi em dez, De Rossi se prepara para voltar a campo depois de meses, mas vê da borda do campo o time levar o quinto gol viola, mais uma vez com o endiabrado Chiesa ao qual Pioli concede e o Franchi reserva a standing ovation a menos de quinze minutos do final. Entra Simeone que poucos minutos depois deixa também sua marca na goleada, 6 a 1 humilhante que se torna 7 a 1 e um passo dos noventa minutos, mais uma vez com o argentino que comemora furioso enquanto os torcedores giallorossi cantam “vão trabalhar”. Para os violas agora na semifinal com o vencedor entre Atalanta e Juventus.

@@Vladimir0

FIORENTINA (433): Lafont, Milenkovic, Pezzella, Vitor Hugo (22′ pt Laurini), Biraghi, Benassi, Edimilson Fernandes, Veretout, Chiesa (32′ st Gerson), Muriel (28′ st Simeone), Mirallas A Disp.: 23 Terracciano, 22 Brancolini, 5 Ceccherini, 34 Diks, 16 Hancko, 14 Dabo, 6 Norgaard, 77 Thereau, 10 Pjaca Téc.: Stefano Pioli

ROMA (4231): Olsen, Florenzi, Manolas, Fazio, Kolarov, Cristante, Nzonzi (46' Pellegrini), Zaniolo, Pastore (46' Dzeko), El Shaarawy (77' De Rossi), Schick

Cartões: 11’Zaniolo, 31’El Shaarawy, 69’Muriel, 71’Pellegrini, 72’Dzeko (expulso)

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz