P R
Portale Romanista
Uma Fe' Que Nunca Tem Fim
ANO XIV
ROMA
CULT
ULTRAS
2017/18
TOTTI
FELLAS
News (Di Francesco) Schick não deve se contentar. Champions? Tentaremos repetir (16)É poker, Roma goleia a Samp (15)Roma-Samp amanhã na Rai (18)(Di Francesco) Schick jogará, Pastore não convocado (23)(Zaniolo) a estréia foi um sonho (26)Biografia de Totti entre os mais vendidos da Itália (21)Três bigs interessadas em Under (22)Juve e Roma a caça de Pépé do Lille (20)(Fazio) Devemos vencer a Samp (15)Di Francesco nervoso, mas jovens evoluindo (28)
P R Alcatéia
ciao, visitante

Login:
Password:


Total Online: 1
Visitantes: 1
Membros: 0
P R Fellas Brasil
P R Últimos Tópicos
Boteco Giallorosso
Nainggolan
Kovacic
Cristante
Estádio
P R Blog
P R Tirinhas
P R Portaland
P R Store
P R Sondagem
Avalie o trabalho de Di Francesco
Total de enquetes: 21
Copa Itália: Derrubada pelo Toro no Olímpico, a Roma está fora da Copa Itália
Postado por: lupulus 20 Dez 2017 às 17:38

A primeira real surpresa da Copa Itália vem do Olímpico, com a Roma derrotada em casa por um Torino quadrado e concreto. A equipe de Mihajlovic conquista assim o pass para as quartas de final  graças aos gols de De Silvestri e Edera, enquanto para os giallorossi ainda são tantas coisas para se rever. E não bastou o forcing da metade do segundo tempo em diante, onde Milinkovic saiu como protagonista no bem e Dzeko no mal. O goleiro sérvio defendeu um pouco aquilo tudo que deveria defender, o centro avante bósnio errou um pouco tudo aquilo que poderia errar. Inclusive o pênalti. Fica o primeiro gol como giallorosso de Schick e, da parte granata, as muito boas prestações de De Silvestri e Acquah.

QUANTAS MUDANÇAS - Di Francesco revoluciona completamente a Roma, mudando 10 dos onze titulares que jogou contra o Cagliari e lançando Schick (único presente também com os sardos) centroavante pela primeira vez desde o início. Mihajlovic, ao contrário, muda menos (e deve renunciar os lesionados Ljajic e Ansaldi), mesmo se o técnico sérvio manda a campo sete peças novas em relação ao ultima derrota diante do Napoli. O início é de marca granata, com um chute de Niang afastado para corner por Juan Jesus e um chute mal aproveitado por Molinaro. Aos 23’ os visitantes chegam muito perto do gol com De Silvestri, no qual a cabeçada (em uma cobrança de falta de Edera) exalta Skorupski. A esta altura a Roma acorda e começa a produzir algo também. Tanto que aos 31’ por muito pouco não abre o placar, com um chute de El Shaarawy girando dos vinte metros e acertando o ângulo fazendo a bola rebater em cima da linha do gol. Depois foi a vez de Emerson primeiro chutar alto de uma boa posição e depois servir uma deliciosa bola para Under, no qual o chute acaba fugindo pra cima. Parece o melhor momento dos giallorossi e então de uma bola perdida sanguineamente por Gonalons nasce uma ação do Torino que leva ao escanteio para o Toro, e que Skorupski é brava em rebater a cabeçada de Belotti, mas nada pode fazer quando a bola sobra para De Silvestri. A réplica giallorossa, aos 41’, fica por conta de Under, no qual que em uma arrancada  obriga Milinkovic a mandar para escanteio. Compreensivamente nos primeiros quarenta e cinco minutos a Roma jamais achou fluidez na manobra, enquanto o Torino fora bravo em compactar-se e contra-atacar.

BATE E REBATE - O segundo tempo começa com uma boa ocasião para El Shaarawy e a Roma que tenta encontrar um espaçamento melhor que o primeiro tempo na construção de jogo. A encerrar a fatura, porém, é o Torino que aos 14’ desperdiça com Edera na frente de Skorupski um contra-ataque iniciado por Niang e bem conduzido por Acquah. O perigo sacode a Roma, que entre os 16 e os 21 minutos constrói 5 lances de gol: primeiro Under “falha” em um tap-in justo de uma boa posição e Perotti (recém entrado justamente no lugar do turco, com a Roma que passa para o 4-2-4) empenha Milinkovic obrigando-o a desviar para corner. Depois Strootman tem uma ótima chance com um arremate seguro, Gerson que recebe um não por parte do goleiro sérvio e finalmente Schick que quase grita gol, mas sua cabeçada acaba na trave. A vibrar entretanto, aos 28’ é o Torino, com Berenguer que na sua primeira jogada pincela um cruzamento delicioso para Belotti, com o Gallo que não chega, mas Edera é bravo em colocar pra dentro de cabeça na segunda trave. A ocasião faz com que a Roma corra atrás três minutos depois, quando Moretti segura Schick na área e Calvarese concede o pênalti. Na marca desta vez se posiciona Dzeko e não Perotti, mas Milinkovic é bravo a hipnotizar o centro-avante bósnio, desviando para escanteio a cobrança. O goleiro sérvio também é bravo nos lances de Pellegrini e El Shaarawy, mas aos 40’ tem que se render a um arremate potente de esquerda de Schick. O final é de arritmia, com Dzeko que primeiro empenha Milinkovic e depois devora de cabeça o 2 a 2, sozinho diante do goleiro granata. Antes do apito final mais espaço para um contra-ataque desperdiçado por Rincon e  o chute em estremo de Schick desviado para fora. No final, com o Torino a comemorar sob o cravo dos torcedores granata e a Roma a lamber as feridas de uma derrota inesperada.

Fonte: Gazzetta dello Sport
P R Avalie
Portale Romanista Brasil © 2004