P R
Portale Romanista
Uma Fe' Que Nunca Tem Fim
ANO XV
FELLAS
FORUM
BLOG
TOTTI
RESENHAS
TIRINHAS
News Quem é Dan Friedkin?A Roma é de FriedkinDzeko alcança Volk e Roma a fase de grupos da UEL3 nomes para o pós PetrarchiZaniolo não é um caso e Dzeko não está descontenteZaniolo, do golaço ao abraço em ManciniMenos burocracia, mais agilidade para o Stadio della RomaCeres pede desculpa para Roma e Bruno PeresTítulo e gol sobre a Lazio, o pé de coelho de Totti
P R Alcatéia
ciao, visitante

Login:
Password:


Total Online: 1
Visitantes: 1
Membros: 0
P R Forum
Botéko Giallorosso
Venda da Roma
SEVILLA 2-0 ROMA
JUVENTUS 1-3 ROMA
TORINO 2-3 ROMA
Pretenções
ROMA 2-1 FIORENTINA
Salários
SPAL 1-6 ROMA
P R Blog
P R Tirinhas
Champions: Manolas e Pellegrini hipotecam as oitavas
07/11/2018 às 22:00

MOSCOU - Roma divide a liderança do grupo G com o Real Madrid. A vitória no estádio Luzhniki em Moscou contra o CSKA por 2 a 1 lhe consente agora de olhar para o futuro e pensar já nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. A Roma está repetindo em suma a temporada passada quando na Europa obtém os melhores e mais entusiasmante resultados. O problema agora será transferir para o campeonato a mesma eficiência, entusiasmo e a capacidade de fazer resultados. A vitória de Moscou evidencia mais uma vez um equipe de dupla marcha, nona na Série A e líder na Champions.

Não foi uma partida fácil: logo de cara gol com Manolas, A Roma sofreu o empate dos russos e apenas os superou quando o CSKA ficou em dez devido a expulsão de Magnusson. Depois disso mais que outro gol (aquele decisivo de Lorenzo Pellegrini, em leve posição irregular) não fora feito. Positiva a prestação de Kluivert inserido por Di Francesco na equipe. Ainda frustrante Dzeko, que até agora na Champions havia entretanto marcado muito e feito belas partidas.

A Roma se colocou em vantagem talvez inconscientemente. Um escanteio, o goleiro Akinfeev, ex-seleção russa e bandeira do CSKA, que sai no vazio e Manolas aparece sozinho sobre o gol e de cabeça coloca o time na frente (4’ pt). Para os moscovitas donos da casa as coisas se complicam quando Mario Fernandes é obrigado a deixar o campo, depois de um choque com Kolarov. A partida para a equipe de Di Francesco se retrai consentindo a Roma de não se precipitar no jogo e controlar o ritmo. Talvez muito porém. O comportamento não particularmente agressivo, ao contrário, concedeu ao CSKA de apresentar-se entretanto, várias vezes diante de Olsen. Mas o goleiro giallorosso, junto com o próprio Manolas, se comportaram muito bem nos arremates de Vlasic & Cia, enquanto em outras ocasiões ou chutaram nas mãos do goleiro ou muito mal para fora.

A flexão e excessiva prudência da Roma, levou o CSKA ao empate no inicio do segundo tempo (51’). Os giallorossi foram surpreendidos com um avanço de Akhmetov que dividiu em dois a equipe romanista, servindo Sigurdsson que se aproveitou de uma vacilada de Santos e marcou com frieza o gol do 1 a 1. Mas a verdadeira reviravolta da partida foi a expulsão de Magnusson (56’), que derruba por trás Kluivert, recebe o segundo amarelo e é obrigado a sair, deixando o CSKA em 10 por mais de meia hora. Três minutos depois e a Roma passa a frente novamente, com Lorenzo Pellegrini - o VAR teria certamente anulando o gol por impedimento - que depois de um cruzamento de Kolarov e uma primeira tentativa de Cristante, arremata de esquerda na saída de Akinfeev. Mas disso a Roma então se contentou e não ousou muito mais. Saiu de campo comemorando, muito segura do resultado. Di Francesco sobretudo consolida sua posição, a (provável) classificação do time leva esperança, um pouco de serenidade depois de venenos e polemicas. E também um belo saldo ao clube, que não gasta nunca.

 

CSKA MOSCOU 1-2 ROMA (0-1)

4’ pt Manolas, 5’ st Sigurdsson, 14’ st Lorenzo Pellegrini

CSKA Moscou (3-4-2-1) - Akinfeev; Nababkin, Rodrigo Becão, Magnusson; Mario Fernandes (12’ pt Schennikov), Bjol, Akhmetov (31’ st Khosonov), Oblyakov; Vlasic, Sigurdsson (19’ st Chernov); Chalov.

 

Roma (4-2-3-1) - Olsen; Santon, Manolas, Fazio, Kolarov; Nzonzi, Cristante ; Florenzi (43’ st Juan Jesus), Lorenzo Pellegrini (37’ Zaniolo), Kluivert (25’ st Under); Dzeko.

 

Arbitro: Çakir

Notas: expulso Magnusson (2 amarelos). Público 64.454

Fonte: Fabrizio Bocca (La Repubblica)
P R Avalie

Portale Romanista Brasil © 2004
uCoz