Alessandro Florenzi

Mais uma grata satisfação do viveiro romanista, o jovem torcedor giallorosso Alessandro Florenzi iniciou sua carreira nos fraudinhas (ou pulguinhas, denominação para categoria na Itália) do Atletico Acilia com apenas cinco anos de idade onde permaneceu até o ano 2000 antes de se transferir para o juniores do Lodigiani. Dois anos depois entra para a base da Roma integrando o time Primavera comandado por Alberto De Rossi, com quem conquista um título italiano da categoria.

Considerado um dos maiores talentos do futebol italiano da sua geração, é um jogador muito flexível, que faz da velocidade e contra ataques uma das suas melhores especialidades. Dos juvenis até o time principal já cobriu todas as posições que englobam as linhas dos três quartos, inclusive a defensiva como lateral direito, função que desempenhara desde quando fora emprestado ao Crotone para disputar a Série B. Com a chegada de Rudi Garcia, Alessandro se posicionou mais ofensivamente desenvolvendo a função de ponta direita. Mesmo se a sua altura não ajuda muito, é um ótimo cabeceador além de grande capacidade em jogadas aéreas. É dotado de inteligência tática, o que lhe consente se adequar a qualquer posição solicitada tendo também qualidade para cobranças de bola parada. Sua resistencia física e determinação comumente o colocam diante do gol proporcionando perigo em suas potentes finalizações.

Estréia na Série A com vinte anos de idade no dia 22 de maio de 2011 entrando no lugar do capitão Francesco Totti no curso da vitória de 3 a 1 sobre a Sampdoria em casa. No dia 26 de julho de 2011 é cedido a título de empréstimo para o Crotone afim de adquirir continuidade e experiência disputando a Série B em que acumula 35 presenças e 11 gols, uma marca surpreendente que o faz voltar rapidamente para a capital.

Seu primeiro gol com a camisa romanista pela Série A ocorre em pleno estádio Giuseppe Meazza no dia 2 de setembro de 2012 em que ajuda a Roma a vencer a Inter pelo placar de 3 a 1. Seu retorno a Roma se conclui com 39 jogos e 4 gols.

Com a vinda do técnico francês Rudi Garcia, Florenzi é mais explorado no ataque e tem um bom desempenho ajudando o time a vencer as dez primeiras rodadas da temporada 2013/14 consecutivamente. Na ultima partida do primeiro turno faz o primeiro, da suas séries de gols espetaculares, de meia bicicleta, abrindo o placar do jogo. Seu ano termina com 38 presenças e seis gols.

No dia 17 de setembro de 2014 faz seu debute na Europa na goleada sobre o CSKA Moscou por 5 a 1 pela Liga dos Campeões da Europa, propiciando o gol contra de Ignaševič. Na temporada 2015/16 outra pintura no jogo contra o Barcellona no dia 16 de setembro de 2015 chutando do meio de campo (algo em torno de 55 metros) pegando o goleiro Stegen do time espanhol de surpresa e com isso sendo um dos finalistas ao prêmio Puskás pela beleza e técnica da conclusão.

No dia 28 de outubro de 2015 endossa pela primeira vez a faixa de capitão desde o primeiro minuto, dadas a ausências de Totti e De Rossi lesionados. No dia 3 de abril de 2016 joga e vence o seu primeiro derby da capital como capitão da Roma contra a Lazio, marcando seu primeiro gol em um clássico, terceiro dos 4 a 1 aplicados sobre a equipe celeste.

Um dos capítulos tristes de Florenzi na Roma ocorre no dia 26 de outubro de 2016 quando acaba lesionando gravemente seu joelho rompendo o ligamento cruzado durante o jogo contra o Sassuolo fora de casa, tendo que ser operado dois dias depois. Dias após a sua recuperação em um jogo servindo o time Primavera, contrai um trauma distorsivo no mesmo joelho operado, o que evidencia uma nova ruptura do ligamento. Sofre nova intervenção cirúrgica no dia 17 de fevereiro de 2017. Volta campo apenas 325 dias depois, na vitória sobre o Hellas Verona por 3 a 0 pela terceira rodada da temporada 2017/17 o qual faz a assistência ao companheiro Edin Dzeko para o gol dos 2 a 0.

A temporada 2018/19 de Alessandro é bastante frutífera: dos 51 jogos que a Roma disputou, Florenzi este presente em 42, apesar de ter feio apenas 1 gol, logo ele que gosta dessa aproximação com as redes. Ossos do ofício já que a sua sina é correr na faixa lateral do campo e servir o jogo, como pede o técnico Di Francesco. Vive uma pequena novela com a torcida depois de gerar dúvidas a respeito da sua renovação. Na pré temporada torcedores apresentam faixas a beira do campo para o jogador retirar a faixa de capitão, já que é vice direto de De Rossi (atual capitão depois da aposentadoria de Francesco Totti). Porém dias depois confirma sua renovação de contrato por mais cinco anos (2023) depois de um aumento de 100 mil euros a mais no salário: por volta de 2,8 milhões de euros.

Pela seleção italiana Alessandro queima todas as etapas naturais desde a Sub 21, onde vestiu a maglia azzurra pela primeira vez no qualify para o torneio Europeu da categoria em 2013 até a estréia definitiva no time principal comando então pelo técnico Cesare Prandeli no dia 14 de novembro de 2012. Seu primeiro gol com a Itália ocorre no dia 15 de outubro de 2013 em empate em 1 a 1 diante da Armenia. Com a Itália possui 32 participações além de 2 gols.

B I O S
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz