Daniele De Rossi

Depois de ter tido experiência com vôlei, quando criança, Daniele De Rossi logo entendeu que o futebol estava no seu DNA, nascendo com a bola sobre o travesseiro, dado que o pai Alberto ex-jogador além de técnico das divisões de base da Roma.

O clube de Trigória era evidentemente o seu destino, visto que entra nos juvenis logo depois de ter completado os primeiros passos futebolísticos no Ostiamare da sua cidade natal. Romanista assumido e conhecido melhor por "Capitan Futuro, a carreira de Daniele cresce de maneira estratosférica: a estreia pela equipe principal se deu em 2001 com apenas 18 anos, na Champions contra o Anderlecht. Na Serie A, sua estreia como titular foi diante do Torino, e já começa marcando gol o que lhe rende um bom preludio. Aculuma presenças e experiência com a camisa giallorossa, conquistando também dentro do período o título europeu Under 21 em 2004.

A temporada seguinte sagra sua presença na seleção principal e a exemplo da sua primeira estreia na Serie A, deixa logo de cara sua marca na Azzurra marcando um gol contra a Noruega como titular. Lippi o leva consigo para a Copa do Mundo da Alemanha em 2006, onde fora escalado como um dos cobradores dos pênaltis que trouxe o titulo para a Itália na final contra a França. Cada vez um ponto de referencia sólido no meio campo romanista conquista em seguida duas Copas Italia e uma Supercopa italiana (decidida justamente com um pênalti cobrado por ele que deu a vitória por 1 a 0 em pleno Giuseppe Meazza).

Em 2012/13, a Roma fica em sexto lugar na classificação. Esta temporada não é muito prolífica para De Rossi mesmo porque no comando técnico estava Zdenek Zeman e por muitas vezes o meio campista ficou no banco de reservas perdendo a titularidade e o boêmio faz a seguinte declaração:

"De Rossi pra mim não é uma nota dolente, mas não se portou como De Rossi. Não se integrou com a equipe. Para mim é um jogador importante, espero que renda como nas temporadas anteriores"

No dia 22 de dezembro de 2012, antes do apito inicial para o jogo com o Milan em no Olímpico, Daniele completou 400 jogos com a camisa do time do coração e recebeu do presidente Pallotta uma placa em celebração ao feito. No dia 17 de março de 2013 chega a trezentas participações na Série A durante um jogo contra o Parma vencido por 2 a 0. Ao final da temporada De Rossi coleciona 25 presenças no campeonato e 4 na Copa Itália.

Em 2013/14 com a chegada de Rudi Garcia para comandar a equipe, Daniele é integrado imediatamente nos planos do técnico francês. Com a eminente ameaça do jogador ser transferido para o futebol inglês, o mesmo decide ficar na capital. No primeiro jogo da temporada 2013/14 contra o Livorno depois de mais de 15 meses volta a marcar gol . No dia 10 de novembro de 2013, contra o Sassuolo (1-1), chega a 318 presenças na Série A, alcançando Giuseppe Giannini, história capitão da Roma, e joga sua 400ª partida como titular com a camisa giallorossa. No dia 11 de maio de 2014 supera o goleiro Guido Masetti e se torna o terceiro jogador com mais presenças na Série A da história romanista.

A segunda temporada sob o comando de Garcia com o retorno da Roma a Liga dos Campeões da Europa depois de três anos, De Rossi realiza seu primeiro gol na temporada no dia 29 de outubro no jogo contra o Cesena vencido por 2 a 0 quase um ano depois do último. Da marca do pênalti classifica a Roma para as quartas de final contra o Empoli pela Copa Itália.

No dia 17 de outubro de 2015,  pela oitava rodada do campeonato italiano 2015/16, no estádio Olímpico, ajuda o time a vencer o Empoli por 3 a 1 marcando o segundo gol e completando a marca de quinhentos jogos com a camisa romanista.

Definido pela imprensa italiana e do exterior como um dos melhores meio campistas do mundo, Daniele representa bem juntamente com Totti o emblema de ser romanista. Justo ele, nas suas jogadas de campeão e no seu inato carisma de líder, traz confiança ao povo giallorosso para um futuro que possa levar cada vez mais alto a Roma.

Após a aposentadoria do eterno Francesco Totti no final da temporada de 2017, Daniele assume a braçadeira de capitão oficial do time definitivamente, passando a vice para Alessandro Florenzi e na falta Radja Nainggolan. Apesar de muito criticado ultimamente, De Rossi aos poucos tenta se condicionar a suas novas exigências sendo um dos pontos chaves da equipe, do então novo técnico Eusebio Di Francesco, com a função de volante no miolo da ligação do 4-4-2 seguido pelo treinador.

No dia 26 de setembro de 2018, pela décima sexta rodada do campeonato italiano 2018/19, na vitória por 4 a 0 sobre o Frosinone, completa seiscentos jogos com a camisa da Roma, único jogador além de Francesco Totti a chegar a essa marca.

B I O S
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz