Edin Džeko

Edin Džeko (ˈɛdin ˈdʒɛkɔ) não tem uma das melhores infâncias. Aos seis anos de idade vive de perto a guerra civil de 1992: "Não tinha muito o que comer, e não se sabia se no outro dia poderíamos fazer três refeições. Estava sempre com medo, quando escutava os disparos ou o barulho das bombas que caíam, nos escondíamos onde podia. Podíamos morrer a qualquer momento. Graças a Deus hoje é apenas uma lembrança".

Mas em 2003 reverte todas as suas decepções da infância na ponta do pé e milita no FK Željezničar, clube da primeira divisão bósnia da capital Sarajevo, que cresce profissionalmente.

Centroavante moderno e completo, tem faro de gol e aproveita-se da sua boa postura física principalmente nas intercepções aéreas, sua melhor pedida. Além disso sabe desfrutar e criar espaços dentro da área graças a técnica e boa visão de jogo. A isto acrescenta-se também o poder balístico de suas conclusões a distância com ambos os pés e a velocidade nos contra-ataques o que o transforma em um hábil finalizador.

Depois de ter passado uma parte da temporada emprestado ao Ústí nad Labem onde coleciona 6 gols em 15 apresentações, em 2006/07 acaba gerando interesse de outro clube da República Tcheca, o Teplice que compra o jogador a cifra de 80 mil euros. Até então Dzeko que atuava como meio campista passa a ser atacante e os efeitos são devastadores conquistando o título de melhor estrangeiro na primeira divisão do Danúbio, graças também aos seus 13 gols em 30 partidas disputadas.

Com a ida do seu ex-técnico Felix Magath para o futebol alemão, Edin recebe uma proposta do Wolfsburg para disputar a Bundesliga e então o clube alemão compra seu passe por 4 milhões de euros e um equivalente salarial a 600 mil euros até o final de 2011. Seu início no campeonato alemão é muito positivo com 5 gols e 3 assistências em 12 jogos, também ganhando o título de melhor atacante do primeiro turno da competição. Porém no segundo turno não obtém o mesmo sucesso e em 28 partidas faz apenas 8 gols. Já na segunda temporada Dzeko é determinante para que o clube conquiste o título de campeão alemão: novamente se firmando como o melhor atacante da competição, Edin faz a melhor dupla de ataque juntamente com Grafite, donos de 26 gols em 32 jogos disputados o que faz com que o bósnio figure entre os candidatos a bola de ouro 2009 da revista France Football. Em agosto de 2009 mesmo depois do assédio de Arsenal e Milan, acaba renovando seu contrato com o clube alemão até 2013. Em 2009 foi protagonista de uma briga durante o treino com o companheiro de equipe Karim Ziani, mas depois acabaram se entendendo e fazendo as pazes.

Na temporada 2009/10 mesmo se o Wolfsburg não consegue o mesmo feito da temporada anterior, acaba se tornando novamente o artilheiro da competição.

No dia 7 de janeiro de 2011 acerta contrato com o Manchester City que paga 35 milhões de euros pelo seu passe e 8,4 milhões anuais ao atacante. Estréia na Premier League no dia 15 de janeiro na vitória por 4 a 3 sobre o Wolverhampton: na partida serve Yaya Touré para o gol dos 3 a 1. Encerra sua primeira temporada com os Citizens acumulando 6 gols em 15 partidas. 

Na terceira rodada da temporada 2011/12, no dia 28 de agosto, faz poker contra o Tottenham na vitória por 5 a 1 em casa. Já no dia 23 de outubro faz dois na goleada humilhante sobre os rivais Manchester United por 6 a 1. No dia 13 de maio de 2012 na última partida contra o QPR marca no finzinho o gol de empate em 2 a 2 que permite sua equipe empatar no jogo de volta. No final não foi preciso por o Manchester City venceu a partida por 3 a 2 e se tornou campeão inglês depois de 44 anos.

Mesmo se na temporada seguinte Dzeko não tenha tido um bom rendimento se comparado aos anteriores no total o peso de seus números falaram mais alto: 189 presenças e 72 gols. Sentiu que era o momento de mudar de ares e aceitou a nova aventura na capital Roma. A equipe giallorossa vai pagar 4 milhões pelo empréstimo do bósnio e dependendo de algumas circunstâncias a possibilidade de comprar o passe do atacante em definitivo que ao todo gerará um custo de 18 milhões para os cofres romanistas. Ao jogador a cifra de 4,5 milhões anuais mais bônus. Dzeko escolhe a camisa 9 e é uma grande esperança para a torcida giallorossa.

Entre altos e baixos a primeira temporada do bósnio com a camisa giallorossa é repleta de incertezas. Dzeko mostra-se com dificuldades para centrar o gol e acaba com isso irritando o torcedor romanista em muitas ocasiões com falhas grotescas. Com o tempo o bomber vai se adaptando ao campeonato italiano e acertando a pegada, tanto que na última temporada (2016/17) se torna artilheiro do campeonato italiano com a marca de 29 gols em 37 jogos, média de 0,78 gol por partida, bem diferente da sua temporada anterior onde tinha marcado apenas oito gols em 31 partidas.

Na temporada 2017/18 não tem uma safra tão produtiva quanto a anterior (a melhor de toda a sua carreira até aqui), mas ainda sim faz 24 gols, fruto também da cessão do egípcio Salah que era o parceiro número um do bósnio em assistências. No entanto é nessa temporada que faz um dos gols mais espetaculares de sua carreira, no dia 18 de outubro de 2017 (empate de 3 a 3) com o Chelsea pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa em que acerta de primeira dentro da área uma parábola despachada por Fazio do meio de campo estufando as redes do lado oposto em diagonal do goleiro Courtois. No mesmo torneio, o camisa nove giallorosso realiza outros fundamentais gols, na segunda melhor campanha do clube pela competição, como no jogo de volta; pelas quartas de final onde o time precisava vencer por 3 a 0, devido o embaraçoso placar do jogo de ida (4 a 1). Além marcar o único gol da partida anterior (fundamental para a classificação), ainda abriu o placar aos seis minutos de partida de retorno na memorável ribalta do dia 10 de abril, ajudando a equipe a concluir o glorioso feito.

B I O S
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz