Tripletta à Bolonhesa
Continuando a eterna caça à Juventus, que já havia ganhado seu jogo no dia anterior, a Roma recebeu o Bologna com a obrigação de ganhar para continuar na segunda posição e sonhar com o título. Após alguns sustos no começo da partida, Perotti fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Salah, que contou com um desvio do zagueiro para marcar o 1 a 0. Já no segundo tempo, Strootman antecipou um passe na intermediária e entregou a bola para o egípcio marcar seu segundo tento com tranquilidade. Salah ainda fechou o placar marcando sua tripleta após rebote em chute de Dzeko - que segue artilheiro da Serie A. Lição de casa feita.

Síntese: Gazzetta Sportiva

A Roma se faz em casa all-in até o Natal “tem mais serenidade” Até agora 15 pontos conquistados sobre 15, Spalletti indica o caminho. E das próximas sete, cinco partidas serão no Olímpico

Por: Chiara Cucchelli

Na expectativa que os torcedores voltem para o estádio, com a esperança de Roma e Lazio dessa temporada, Luciano Spalletti disse sim que os muitos gols em casa são “um pouco cauais”, mas depois admite também que “No Olímpico talvez nos sentimos mais tranquilos”. A pressão que geralmente tinha, nas temporadas passadas, que se falou, parece não existir mais, talvez porque o estádio se tornou um tipo de teatro aberto e a partida desta noite não foi exceção: chegar aos 30 mil expectadores seria um milagre, ficará nos 25 mil, e a Roma deverá fazer suas contas. Agora e no futuro, visto que daqui até o Natal, entre campeonato e copa, estão previstas somente três jogos fora de casa: aquele contra a Atalanta, o big match com a Juve do dia 17 de dezembro, a partida na Romênia contra o Astra Giurgiu que, se a equipe fizer seu dever contra o Viktoria Plzen, será útil apenas para estatística.

FOGO AMIGO Em casa, tirando o nocaute com o Porto nas preliminares da Champions e o empate com o Austria Viena, a Roma no campeonato encheu o pé de meia. Bocas de fogo, sobretudo no ataque, mesmo se Spalletti explica que “as vezes marcamos 4 gols sofrendo enquanto fora de casa, jogando bem, fazemos menos”. Fala da casualidade o técnico. Dzeko em casa sempre marcou, no total chegou-se a 17 centros em 5 partidas e se é verdade que os adversários não eram proibitivos (Udinese, Samp, Crotone, Inter e Palermo, nenhuma supera a décima primeira colocação na classificação), é verdade também que a história giallorossa é plena de ocasiões perdidas com as pequenas.

DE BOLONHA A BOLOGNA Agora a Roma foi chamada para confirmar o trend, a partir desta noite, quando virá o Bologna, a última equipe a ter tirado pontos de Spalletti em casa no campeonato. Depois do 1 a 1 de abril, marcado por Rossetini e Salah, vieram depois os sucessivos contra Torino, Napoli e Chievo, antes da botinha cheia dessa temporada. O calendário diz que cinco das próximas sete partidas pelo campeonato a Roma as jogará no Olímpico: depois do jogo de Bergamo, a Roma receberá o Pescara, domingo dia 27 as 20 e 45, enquanto na semana seguinte será o derby, apenas tecnicamente como um jogo fora.

MOMENTO CLOU Depois se entrara no vivo: segunda-feira dia 12 às 21 horas compromisso com o Milan de Montella, jogo em Turim e, para encerrar o ano, o empenho do dia 22 contra o Chievo. Duas as partidas de Europa League a disputar: no dia 24 de novembro em casa contra o Viktoria Plzen, no dia 8 de dezembro o jogo fora com o Astra Giurgiu, com Spalletti que espera deixar os big repousarem.

E OS TORCEDORES? E depois tem a questão curva Sul: a sociedade está fazendo de tudo para tirar as barreiras, o CONI também está se movendo, mas as autoridades, por hora, não parecem dispostas a dar um passo atrás. Assim como os torcedores não estão interessados em recuar até que a situação não mude. Por isso, na semana passada, nasceu um novo coro, sobre notas de “A modo tuo” de Elisa e Ligabue: “Será belíssimo, girar a Europa e cantar para você, sem regras e sem barreiras, tu és mais forte se estou contigo. Vamos vencer…”.

@ChiaraZucchelli

ROMA (4231): Szczesny, Peres (77' Gerson), Rudiger (57' Paredes), Fazio, Jesus, De Rossi, Strootman, Salah (85' El Shaarawy), Nainggolan, Perotti, Dzeko

BOLOGNA (4-3-3): Da Costa; Krafth, Ferrari, Helander, Masina (85′ Torosidis); Viviani Nagy, Taider; Dzemaili Krejci, Sadiq (50′ Destro) A disp. Gomis, Sarr, Oikonomou, Mbaye, Pulgar, Mounier, Donsah, Rizzo, Di Francesco, Floccari Téc.: Roberto Donadoni

Cartões: 64’Paredes

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM