Um 2017 diferente e giallorosso
O ano de 2017 inicia e com ele lembramos da já longinqua temporada de 2007/08, quase 10 anos atrás, onde ganhamos nossa última taça. Uma Coppa Italia que já vai desaparecendo na memória depois de anos de altos e baixos, onde a Roma chegou a empolgar e a dar esperanças, mas nunca acabou sendo protagonista. O torcedor giallorosso certamente deve ter pedido para 2017 um time que vença e que traga alegrias. Chega de romadas, pontos perdidos e frustrações. Pedimos todos para um 2017 que traga novamente a alegria que já sentimos ao ver a Roma vencendo grandes jogos. E esse ano começou diferente: um jogo sofrido porém um resultado a ser comemorado. Sem romada e com 3 pontos. Otimismo para 2017. Aos trancos e barrancos, forza Roma!
Ian

Síntese: Il Messaggero

A Roma volta a vencer fora de casa: 1 a 0 sobre o Genoa. 2017 parte com o pé correto.

Por: Ugo Trani

Ótimo o encerramento do primeiro turno e o início de 2017: esperando para conhecer o resultado de Juventus-Bologna, a Roma retoma o segundo lugar e fica isolada, mais uma vez deixando o Napoli para trás, que está em terceiro com 3 pontos a menos, e atrás dos campeões italianos que, com 1 jogo para recuperar contra o Crotone, têm apenas 1 ponto a mais na classificação. Para Spalletti atingir o 150º sucesso no banco giallorosso, basta o gol contra de Izzo é suficiente depois do chute de Peres, que se torna tão decisivo quanto o de Icardi para a vitória sobre a Inter no Olímpico. Genoa, penalizado pelas ausências de Rincon (cedido) e Veloso (lesionado), faz pouco e Juric não repete o desempenho (No Marassi foram 16 dos 23 pontos e humilhou seus colegas Allegri e Montella), mesmo se nos acréscimos Szczesny salvou o resultado voando sobre a conclusão de Ocampos.

CONTROLE TOTAL

O resultado é reduzido, mas a Roma, de volta ao sucesso fora de casa (último no dia 26 de outubro em Reggio Emilia contra o Sassuolo), construiu várias chances na primeira parte e acertou a trave com Dzeko no segundo tempo. Acima de tudo foi balanceado com o seu 4-2-3-1, com Juan Jesus central ao lado de Fazio (Manolas foi poupado: dentro apenas no final), e com Peres no papel de Salah, um movimento que foi decisivo nos confrontos contra a Lazio e o O Milan e, como nesses dois jogos, os giallorossi não sofreram gols (7ª match sun 19).

DUPLA SUSPENSÃO

Os cartões de Ruediger e De Rossi, ambos pendurados, são caros, nesta época de emergência, ambos estarão saltando o desafio do Friuli contra Udinese. Manolas e Paredes, antes dos acréscimos, parecem curados e disponíveis. Mas os jogadores, para a primeira rodada do returno, são realmente contados.

@utti60

GENOA (343): Perin (dal 9’ Lamanna); Izzo, Burdisso, Muñoz; Lazovic (dal 78’ Pinilla), Rigoni, Cofie, Laxalt; Ninkovic (dal 62’ Edenilson), Simeone, Ocampos A disp.: Zima, Gentiletti, Biraschi, Fiamozzi, Orban, Quaini, Beghetto, Morosini, Pandev Téc.: Ivan Juric

ROMA (3421): Szczesny, Rudiger, Fazio, Jesus, Peres (85' Manolas), Strootman, De Rossi, Emerson, Nainggolan (88' Paredes), Perotti (78' El Shaarawy), Dzeko

Cartões: 27’Cofie, 38’Rudiger, 49’De Rossi, 66’Strootman, 81’Ocampos, 84’Fazio

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM