Vaga conquistada em ritmo de treino
A Roma entrou em campo contra a Sampdoria para buscar a vaga nas quartas da Coppa em ritmo de treino, e conseguiu. Após noventa minutos e uma ótima atuação de Nainggolan, também chegamos ao terceiro jogo sem sofrer gol e isso é muito importante para quem quer chegar longe em torneios de mata mata. No final das contas, o jogo serviu para dar mais ritmo ao time após a parada para as festas de fim ano e o resultado foi excelente. Para finalizar, é importante lembrar que a Roma tem obrigação de chegar na semifinal, pois enfrenta o Cesena na próxima fase, ou seja, uma grande oportunidade de vencer a Coppa pela décima vez.

Síntese: Corriere della Sera

Roma: gol, espetáculo e o Nainggolan de sempre. A Sampdoria foi batida. Copa Itália: liquidado as oitavas, nas quartas tem o Cesena.

Por: Luca Valdisserri

ROMA O Cesena resta a unica surpresa das oitavas da Copa Itália e justo os romagnoli serão adversários da Roma nas quartas (no Olímpico, dia primeiro de fevereiro). Os giallorossi cavalgam em sua onda positiva - oitava vitória nas ultimas dez partidas, mais o empate sem influencias com o Astra Giurgiu e a derrota no Juventus Stadium - dando razão as escolhas de Spalletti. A equipe metabolizou a lição tática da defesa “em três e meio”, não toma gol a três jogos consecutivos e amortizou a ausência de Salah na Copa da África jogando um futebol mais sólido com Bruno Peres avançado no meio campo. Quando o egípcio voltar será um prazer, para Spalletti, mas deverá lutar para reencontrar seu lugar. No meio tempo Nainggolan marca e mais que um centro-avante: 5 gols nas ultimas 8 partidas.

O técnico de Certaldo escolhe no inicio um turnover pensado (Alisson, Mario Rui no seu debute, Paredes e El Shaarawy), inferior ao do adversário Giampaolo, que coloca em campo 5 reservas (Bereszynski recém chegado, Dodo, Djuricic, Cigarini e Budimir). Sinal de um respeito por uma equipe que o havia colocado em dificuldades no dia 11 de setembro passado no campeonato.

Os problemas, entretanto, se limitam a primeira ação, que surpreende a defesa giallorossa: longuíssimo o lançamento de Puggioni, Budimir vence o duelo aéreo com Juan Jesus e “desliza” para Muriel, que se encontra acostado com Fazio, isto é, menos veloz dos romanistas. O chute do colombiano termina na trave e salva Alisson. A pressão alta dos dorianos dura pouco, depois vem em cátedra Nainggolan, o homem que Giampaolo não consegue jamais acompanhar. O belga abre o placar com um belíssimo chute com o peito do pé direito, que colhe Puggioni fora do gol, mesmo se o real erro é de Silvestre, que erra ao liberar a sua área.

O segundo tempo é uma lição de futebol, com El Shaarawy e Dzeko que se alternam em assistências para o 2 e o 3 a 0. A fechar as contas é mais uma vez Nainggolan, que marca de cabeça depois do perfeito cruzamento de Perotti, que entrou no final. A Roma está em grande forma: se Spalletti consegue manter-la e Pallotta lhe dá uma mão no mercado…

ROMA (3421): Alisson, Rudiger, Fazio, Jesus, Peres, Paredes, De Rossi, Mario Rui (67' Perotti), Nainggolan, El Shaarawy (62' Totti), Dzeko (62' Totti)

SAMPDORIA (4312): Puggioni; Bereszynski, Silvestre, Regini, Dodò (78′ Pavlovic); Djuricic, Cigarini, Linetty (67′ Praet); Bruno Fernandes; Budimir (62′ Shick), Muriel A disp.: Krapikas, Tozzo, Amuzie, Skriniar, Pereira, Torreira, Quagliarella Téc.: Marco Giampaolo

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM