A Queda
Temporada de muitos jogos e desgastes mas não justifica, muito menos a atuação de alguns jogadores que ao fazer ou receber o passe a bola queimava no pé. Strootman e Dezko não fizeram boa atuação, em compensação Alison salvou o que poderia ser um novo vexame em uma competição europeia. O jogo inteiro foi de igual, infelizmente a individualidade fez com que os donos da casa saíssem com o triunfo. Nossos Zagueiros precisam arriscar mais o desarme e não esperar o adversários chutarem a gol, isso nos prejudicou em pelo menos dois gols. Spalletti foi muito infeliz em deixar as substituições para os minutos finais e pecou mais em não acreditar no jogador que sempre fez a diferença, Totti. A verdade é que agora são poucos os que acreditam na Roma e em Totti, mas é quando ninguém mais acredita que o milagre acontece. Forza Roma

Síntese: Corriere della Sera

Alisson: “Uma pena, mas o importante é ir adiante”

Por: Gianluca Piacentinni

Se não fosse pelas suas defesas, a classificação da Roma poderia se complicar. Entre as poucas notas positivas da derrota de ontem a noite está Alisson Becker. O goleiro brasileiro, sem culpa no gol do Villarreal, foi protagonista de pelo menos quatro defesas determinantes.

“No primeiro tempo demos muito espaço - a analise do goleiro giallorosso no final da partida - No segundo crescemos e colocamos a cabeça no lugar. Tivemos algumas chances de empatar, poderíamos ter feito melhor: não vencemos, mas o importante é ir adiante”.

Faz auto-crítica, então, Luciano Spalletti. “é culpa minha - explica o técnico 0 criei complicações na equipe, talvez não trabalhei muito bem no psicológico dos jogadores, mesmo se no segundo tempo alguma coisa se foi vista. Coloquei Perotti e El Shaarawy nas faixas e aquilo que haviam mais corrida foram esmagados; Totti, De Rossi e Paredes foram os únicos a pressionar pelo qual não tivemos quase nunca surpresa. É justo tomar as responsabilidades, neste caso é um pouco culpa minha, que os fiz trabalhar muito as vésperas. As minhas escolhas? Busquei dar equilíbrio e lógica durante o jogo: existia a possibilidade de dar satisfações aos nossos torcedores, mas não ocorreu. Não esqueçamos que o Villarreal no ano passado eliminou o Napoli, e depois quiseram banalizar o resultado do jogo de ida que ao contrário foi excepcional”.

Mais uma vez o protagonista negativo foi Vermaelen. “Errei no apoio, mas é algo que pode acontecer. Ele está habituado a jogar também na frente em ações importantes”.

@PiaceGianluca

ROMA (3421): Alisson, Manolas (45' Rudiger), Vermaelen, Jesus, Peres, Paredes (84' Fazio), De Rossi (76' Nainggolan), Mario Rui, Perotti, El Shaarawy, Totti

VILLARREAL (442): Fernandez; Rukavina, Álvaro, Bonera, José Angel; Cheryshev (73′ Bakambu), B. Soriano, Hernandez, R. Soriano (77′ Dos Santos); Soldado (66′ Lòpez), Borré A disp.: Barbosa, Ruiz, Costa, Castillejo Téc.: Fran Escribà

Cartões: 21’Rodrigo, 57’Rüdiger, 81’Rüdiger (expulso)

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM