GRAZIE DZEKO BOMBER
Como disse um amigo romanista hoje, se um viajante do "futuro" aparecesse em agosto de 2016 e falasse pro torcedor romanista que em fevereiro de 2016 o Dzeko seria artilheiro da Serie A e já teria 28 gols somando todas as competições, ninguém acreditaria. Mas é a verdade. Dzeko vem jogando muita bola e por mais que ele perca gols ainda, tem criado muitas chances, se posiciona muito bem, é a referência na área que pedíamos há muito tempo. Hoje foi cirúrgico nas chances que teve. 3 gols, acima de qualquer crítica. Palmieri fez um golaço pra coroar suas atuações que também vem melhorando muito. Equipe muito bem postada em campo, segura, propondo e dominando o jogo no primeiro tempo. Tirando uma breve pressão no início do segundo tempo (contida por boas defesas de Alisson) não corremos perigo. Salah entrou bem demais e mostrou que é vital pra verticalização do jogo. Bravo ragazzi. Grazie Roma, Grazie Dzeko!

Síntese: Corriere dello Sport

Villarreal 0-4 Roma: Dzeko rei da Europa, Spalletti avista as oitavas. O bósnio, além de ser o artilheiro da Série A, encontra consagração também na Europa, tornando-se o maior goleador. O hat-trick e o esplêndido gol de Emerson hipotecam o acesso à próxima fase.

Por: Filippo Testini

VILLARREAL (ESPANHA) - Roma vence e convence. Um esplêndido gol de Emerson Palmieri e o hat-trick de Dzeko lançam o Villarreal, uma das equipes mais temidas no campo internacional pelas equipes italianas (sempre eliminadas em confrontos diretos). No Al Madrigal, agora Estádio da Ceramica, termina 4 a 0 para os homens de Spalletti que, além de continuar a corrida pela Juventus no campeonato e manter o Napoli e o Inter afastados, também convencem na Europa, hipotecando a passagem das oitavas.

AS ESCOLHAS - Fora Florenzi, que corre o risco de uma nova intervenção no ligamento do joelho esquerdo e Grenier porque jogou alguns minutos este ano com o Lyon pela Liga dos Campeões, agora eliminado da Liga Europa. Spalletti não muda as táticas: sempre no 3-4-2-1 testado com Alisson desde o primeiro minutoatrás de Manolas, Fazio e Rüdiger. Strootman e De Rossi centrais, Bruno Peres e Emerson Palmieri externos. El Shaarawy, preferido ao invés de Salah, e Nainggolan atrás de Dzeko. Famigerado 4-4-2 para Escribà. Não há ex-José Angel, no ataque Samsone e Bakambu.

O PONTO FRACO ESPANHOL - Início de estudo para ambas as equipes que, no entanto, sabem como derrubar o adversário. A Roma tentam aproveitar a faixa da esquerda, onde Castillejo é frequentemente levado a avançar muito e deixar espaço necessário para a abertura ofensiva. Villarreal, por outro lado, tenta fazer mal com manobras coletivas, lúcidas e essenciais. São dos espanhóis, na verdade, a primeira ocasião da partida, mas Castillejo, felizmente para a Roma, chuta na trave. Na segunda parte do primeiro semestre, no entanto, Roma se saiu bem. A equipe de Spalletti faz a bola correr bem e aos 30 minutos tem a primeira chance de abrir o placar. El Shaarawy parte pra cima de Musacchio, retorna para a direita e cruza para o centro, onde Dzeko conclui de cabeça, mas termina centralmente. Asenjo defende sem problemas.

ORGULHO AMARELO - Uma questão de orgulho. O Villarreal volta do vestiário mais reativo, ansioso para retomar a partida. Aos 51 minutos ele pega seu Manolas que svirgola o adiamento da cabeça, Bakambu vai embora para todos em posição central, entra na área mas a conclusão, suja, termina bem acima do travessão. Os anfitriões aceleram. Alisson cuida de salvar seus companheiros imediatamente depois. Mario Gaspar, sozinho acerta na primeira trave bem próximo, recebendo a bola de Trigueros, tenta a conclusão, mas o goleiro brasileiro responde bem mandando para escanteio.

DZEKO REI DA EUROPA - Spalletti mexe no banco. Dentro Salah, quem pode fazer diferença nas faixas laterais, fora de El Shaarawy. E acerta a mudança. Verticalização de Bruno Peres para Salah, servindo Dzeko na área. O bósnio faz uma finta de deixa Musacchio sentado, depois bate Asenjo de perto. Dzeko, no entanto, não pára por aí. Aos 80 minutos, Juan Jesus, que entrou no lugar de Rüdiger, lança para o atacante bósnio que lança uma pedra em direção a Asenjo e depois termina nas redes após tocar na parte inferior da trave.

Mas Dzeko quer levar a bola para casa com as rubricas dos jogadores. O número 9 serve Nainggolan na esquerda. O belga restitui a bola para o bósnio, que controla com a direita e conclui de esquerda no sob o travessão. Depois de rei dos gols na Itália, ele também se torna o maior goleador da Liga Europa com 8 gols. Com esta vitória, a Roma permanece imbatível nesta temporada na competição européia (4 vitórias e três empates), encontrando o segundo sucesso fora depois daquele contra o Áustria Viena.

@filippotestini

VILLARREAL (442): Asenjo; Mario Gaspar, Musacchio, Victor Ruiz, Jaume Costa; Dos Santos, Bruno, Trigueros, Castillejo (67′ Cheryshev); Sansone, Bakambu (66′ Adrian Lopez) A disp.: Andres Fernandez, Rukavina, Alvaro, Rodrigo, Santos Borré Téc.: Fran Escribá

ROMA (3421): Alisson, Manolas, Fazio, Rudiger (71' Jesus), Peres, De Rossi, Strootman, Emerson, Nainggolan (90' Paredes), El Shaarawy (62' Salah), Dzeko

Cartões: 44’Gaspar, 89’Peres

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM