Mais do Mesmo
A eliminação precoce na Champions pareceu injusta, mas a Roma parece não colaborar, tomamos um gol logo de cara, não demorou muito, empatamos e viramos. Aos 20 minutos a Roma já tinha dado 6 chutes à gol e sofreu 2 do Austria, mostrando o jogo aberto. Spalletti briga com seus próprios instintos e peca em algumas decisões, os "reforços" para a temporada não ajuda. No 2º tempo mais dois gols e pra variar uma surpresa no final. Džeko mais uma vez justificou o valor de uma 2ª chance, oportunidade rara em Roma. Resultado importante, nada demais, o verdadeiro desafio é a 2ª fase e não tropeçar no campeonato Italiano, que venha o Bologna.

Síntese: Gazzetta dello Sport

Europa League, Austria viena 2-4 Roma com dzeko (2), De rossi e Nainggolan Giallorossi, atrás de 90 segundos, depois a reação com um-dois que vira o resultado antes dos 20 minutos. O bósnio faz dois no segundo tempo e Radja liquida o jogo: Spalletti é primeiro isolado

Por: Andrea Pugliese

A Roma desbanca Viena, lidera sozinha no topo do seu grupo e com esta vitória por 4 a 1 coloca uma séria hipoteca na qualificação para os playoffs. Um sucessoque veio na virada filho desses progressos sob os traços de personalidade que elogiara Spalletti na véspera da partida. Um duelo onde Edin Dzeko mais uma vez jogou como um leão. Dois gols a parte, o bósnio lutou, defendeu mil bolas e participou ativamente do jogo. Outro teste de círculo vermelho, para um Dzeko muito diferente da última pálida temporada.

ENTRE ERROS E RESPOSTAS - Spalletti está em total emergência defensiva e então atrás volta a 4, com De Rossi se unindo a Rüdiger e os brasileiros Bruno Peres e Juan Jesus nas laterais. Fick ao contrário confirma a formação do primeiro jogo, com a exceção do goleiro Almer (lesionado no Olímpico e de Stronti, que dá lugar para volta de Rotpuller). Nem mesmo o tempo para organizar que o sono habitual de Juan Jesús abre as portas para a vantagem austríaca: cruzamento de Venuto, erro grotesco de Alisson (com a cumplicidade de Rüdiger) e gol de Kayode, que apoiava no lado oposto. A Roma, no entanto, rosna imediatamente, como Spalletti disse na véspera, e dois minutos depois encontra o empate com Dzeko, bom em fechar com um toque elegante na bela descida (com assistência) de Bruno Peres. Justo o brasileiro da direita é uma das chaves do jogo, com um empurrão contínuo feito de cruzamentos e jogadas a dois com Perotti. No entanto Kayode e De Rossi prometem e fazem, com o giallorosso que empata as contas aos 18 minutos. Desta vez é a defesa vienense que comete erro, com Hadzikic e Martschinko que não afastam, falseando o chute e dando ao capitão giallorosso a bola do empate (com o gol vazio). A reação austríaca é frequentemente e de bom grado confiada ao entusiasmado Venuto, que na direita muitas vezes coloca Juan Jesus em dificuldades, aproveitando-se de um pouco de assistência de Stryger e de Grünwald, que por sua vez se sobrepõem na faixa. A oportunidade de marcar novamente, no entanto, tem a Roma aos 30’, quando na enésima boa jogada de Bruno Peres é o mesmo Stryger para antecipar El Shaarawy em extremo e negar-lhe a oportunidade de marcar com um arremate.

DOMÍNIO GIALLOROSSO - Prontos vamos e a Roma tem pelo menos três chances para ampliar no início do segundo tempo, com duas bolas de El Shaarawy que colocam Dzeko na frente do goleiro nos dois casos e um chocolate de Paredes que trai Perotti na vertical, mas o argentino cara a cara com Hadzikic chuta fraco nos braços do goleiro adversário. Aos 20 minutos, no entanto, o jogo acontece: mais uma bola com beijo do faraó pela inserção de Dzeko, que ao vôo de chapa supera o ímpeto de Hadzikic, para então reiterar em gol a bola que havia batida na trave. A partida é de fato marcada, com os giallorossi demonstrando potência e o Austria Viena, que já não tem força para reagir. Então Fink tenta colocar um atacante fresco, Friesenbichler no lugar de Kayode, mas os resultados são nada menos que aproximativos. Ao contrário, a marcar novamente é a Roma com Nainggolan, que aproveita o rebate de Filipovic para marcar de pé direito dentro da área. Ainda há tempo para uma emoção final, com Dzeko a um sopro do tris pessoal com uma chicotada de direita de fora da área. E para o gol final de Grünwald, que define o resultado em 4 a 2 para a Roma. Então todos sob a dura, na expectativa do próximo desafio.

@Puglio11

AUSTRIA VIENA (4231): Hadzikic; Larsen, Rotpuller, Filipovic, Martschinko; Serbest (83′ Prokop), Holzhauser; Pires, Grünwald, Venuto (86′ Tajouri); Kayode (71′ Friesenbichler A disp.: Pentz, Vukojevic, Stronati, Salamon Téc.: Thorsten Fink

ROMA (4231): Alisson, Peres, Rudiger, De Rossi, Jesus, Paredes, Strootman, Perotti (84' Iturbe), Nainggolan, El Shaarawy (71' Gerson), Dzeko

Cartões: 7’Kayode, 12’De Rossi, 42’Rudiger, 45’Strootman, 59'Martschinko,’'Grünwald

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM