Presente de Totti
Falar de Totti é fácil e até meio simplório, mas a vitória por 4 a 0 sobre o Astra Giurgiu foi um presente do capitão, que dois dias antes da partida completou 40 anos. É verdade que a marcação do time romeno se mostrou muito frágil, deixando o centro do campo – Strootman, Paredes e Totti – livres. Mas impressiona a verticalidade e o percentual de acertos dos passes do gênio, que parece sempre saber se reinventar. Não é um teste forte, mas, se aos poucos ficaremos sem Totti, agradeçamos aos presentes que ele ainda nos dá. Triste apenas o estádio vazio, ecoando um sentimento de fim de festa.

Síntese: Il Messaggero

Poker da Roma sobre o Astra: 4 a 0. Totti inspira a equipe.

Por: Ugo Trani

Sem público, apenas 5.417 pagantes (mínimo na temporada), mas com Totti. A Roma vence facilmente o Astra Giurgiu, por 4 a 0, e conquista a liderança do grupo E (melhor diferença de gols do que o Áustria, que tem 4 pontos, como os giallorossi). E na Liga Europa, no momento, viaja melhor que na Série A. O capitão, titular e durante toda a partida contra Crotone, é novamente decisivo (até o placar é o mesmo). Assistência sobre a falta para o gol inicial de Strootman, travessão mais uma vez em cobrança de falta depois da cabeçada de Fazio, que amplia e lançamento com o contagiro para o poker de Sslah, depois do trio nascido da incursão de Perotti que determinou o gol contra de Fabricio.

PRIORIDADE AO CAMPEONATO A Roma, em suma, vence sua primeira partida na temporada européia. Os campeões romenos são realmente modestos e Spalletti, embora não esnobe o jogo, inicialmente lança Florenzi e Nainggolan deixando Szczesny e Dzeko no banco. Domingo à noite tem a Inter terceira e os giallorossi em quarto pontam a ultrapassagem. A equipe de De Boer desmoronou em Praga contra o Sparta no final da tarde: 3 a 1. Na Liga Europa, 2 derrotas em 2 jogos, ainda não marcaram pontos.

PROMOÇÃO POR DOIS É a noite dos reservas (até o Totti é ...): Alisson confirma valer a titularidade e se faz pronto no 0 a 0, três vezes na mesma ação, quando Nicoara aparece, bola no pé, na frente dele; Paredes ganha coragem e confiança, ajudado por Strootman. Eles são dois experimentos bem sucedidos. Difícil julgar Juan Jesus que, reaproveitado à esquerda, é tímido e escolástico. Ainda no balanço de Iturbe que simplesmente não pode deixar sua marca. O 4-2-3-1 sem centroavante de função, a primeiro ponta é Salah, eficaz. Mas o teste contra o Astra Giurgiu, antepenúltimo no grupo E, tem o significado de treinamento. Mesmo para o técnico giallorosso que, no entanto, brinda seu sucesso e sua centésima partida como treinador na Europa.

@utti60

ROMA (4231): Alisson, Peres (63' Florenzi), Manolas, Fazio, Jesus, Paredes, Strootman (68' Gerson), Salah (57' Nainggolan), Perotti, Iturbe, Totti

ASTRA GIURGIU (4231): Lung; Junior Morais, Geraldo Alves, Fabricio, Lazic (60′ Niculae); Sapunaru, Mansaly (45′ Lovin); Nicoara (60′ Budescu), Seto, Texeira; Alibec A disp.: Gravilas, Costantin Budescu, Florea, Oros, Stan Téc.: Marius Sumudica

Cartões: 30’Totti, 40’Geraldo Alves, 94’Junior Morais

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM