Mais do que nunca precisamos
Faz tempo que não  olhamos para nossa Mágica  Roma e não temos esperança, mas hoje, mesmo após dois resultados ruins, nos mantemos esperançosos. Di Francesco finalmente deu uma cara a um time que não a tinha a anos. Depois de um início  de ano que mais trazia dúvidas do que certezas, perdendo peças  importantes como Salah e Rüdiger, e extremamente de nosso ninja, nem o mais otimista apostaria em uma provável classificação no grupo da morte e apenas uma derrota até então. No italiano o enfraquecimento da toda poderosa Juventus e o grande número de equipes brigando na parte de cima da tabela pode ser um fator positivo a favor da Roma, que todo ano bate recordes, mas esbarra em uma Juventus ainda mais imbatível. Esperança, é a palavra do momento na mente dos tifosi giallorossi. 

Síntese: Il Messaggero

Genoa-Roma 1-1: Lapadula responde a El Shaarawy. Loucura de De Rossi

Por: Ugo Trani

GENOVA - A Roma, depois de cinco vitórias consecutivas, esbarra improvisadamente fora de casa e perde consequentemente terreno em vista do topo da tabela. O primeiro empate nesse campeonato, 1 a 1 no Marassi contra o Genoa, é abaixo do esperado na prestação, desleixada e lenta no primeiro tempo. Mas sob resultado, porém, incide a expulsão de De Rossi que, com a vitória parcial por 1 a 0 para os giallorossi, agride Lapadula com um tapa dentro da área. VAR, vermelho, pênalti e vitória desperdiçada.

PARTIDA COMPLICADA - O turnover, 5 mudanças em relação a Madrid, desta vez não rendeu. Di Francesco, depois do primeiro tempo sem ritmo e chance, porém ajustou a corrida da Roma: dentro Defrel no lugar de Perotti. A mudança funcionou rapidamente: cruzamento de Florenzi e gol de El Shaarawy. Assim o match ficou mais fácil de gerir, mesmo para o Genoa que teve que renunciar sua postura prudente, buscando o empate. Que, porém, Ballardini ganhou em homenagem a De Rossi. Incompreensível o gesto do capitão, sob um escanteio já afastado.

DE ROSSI E O ERRO INFANTIL - Um erro imaturo, que alguém de tamanha experiencia não se espera jamais. Uma bola inativa, defendida pelo goleiro e o que ocorre? Um agarramento de Lapadula, reação com um tapa. Em plena área. Pênalti e expulsão. Roma em dez e vitória pros quintos. E o peso desse insucesso ganha forma ainda maior justo porque os concorrentes não erram da mesma forma. Daniele De Rossi erra no momento mais belo, em suma, justo quando a equipe havia marcado o gol que mantinha a equipe viva na competição, em um campo difícil como o de Marassi e depois de uma prestação abaixo do tom em relação as precedentes. Estava chegando uma outra vitória nas coxas, mas boa como um pão. Aquilo que realmente importa até então. O agarramento de Lapadula muda a prospectiva, o Genoa toma coragem, converte o pênalti e arrisca virar com a Roma voltada para o ataque para tentar reverter a situação. A Roma perde seu pivô central, por um gesto que agora fará chover críticas ao ambiente. E que, para ele, valerá um outro exame de consciência. De Rossi passa a ser aquele que muitas vezes é expulso. Mas não é assim, de Daniele não foram muitos: 15 na carreira. 13 com a camisa da Roma e mais 2 com a da seleção italiana. O problema é que quando leva, é sempre por gestos desse tipo. Não perde viage, reage mal e a gora as imagens televisivas não escondem mais nada. E a Roma sabe disso.

Lapadula converteu o pênalti, mas os giallorossi em inferioridade numérica, com Nainggolan na faixa esquerda no 4-4-1, conseguiram entretanto ser mais perigosos que na primeira parte. Strootman acertou o travessão em um convite de Kolarov.

PROTESTO FINAL - Lapadula, em contrapé, teve a chance de virar. Schich, que entrou antes dos acréscimos no lugar de Nainggolan, se apresenta bem. Defrel, nos instantes finais, não conseguiu, entretanto, marcar o gol, mas naquela ação Fazio foi parado com falta por Spolii dentro da área. O abraço porém fugiu a observação de Giacomello e sobretudo do VAR.

@utti60

GENOA (352): Perin; Izzo, Spolli, Zukanovic; Rosi, Rigoni, Veloso (49'st Cofie), Bertolacci, Laxalt; Pandev (18'st Lapadula), Taarabt (40'st Omeonga) A Disp.: Lamanna, Biraschi, Gentiletti, Rossettini, Lazovic, Centurion, Ricci, Pellegri, Palladino Tec.: Davide Ballardini

ROMA (433): Alisson, Florenzi, Juan Jesus, Fazio, Kolarov, Nainggolan (87' Schick), De Rossi, Strootman, El Shaarawy (77' Gonalons), Dzeko, Perotti (58' Defrel)

Cartões: 44’Fazio, 47’Nainggolan, 69’Daniele De Rossi (expulso), 71'Juan Jesus, 74’Taarabt

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz