BIG OU BUG?
É preciso entender o que realmente significa essa questão de time desfalcado pela ausência dos convocados para suas respectivas seleções. Fazio, El Shaarawy, Santon, Marcano, Juan Jesus, Coric, Karsdorp, Marcano, Javier Pastore… Todos peças fundamentais para os planos de Di Francesco, o que evidentemente foi clara a proposta desesperada do técnico romanista ao solicitar as pressas esse amistoso. Sobretudo para Pastore, que desde quando chegou ainda se espera uma resposta convincente da sua dispendiosa contratação: 231 minutos nas pernas, 4 pontos para equipe em 3 jogos (Torino, Atalanta e Milan), o pior desde a temporada 2012/13. A piorar as coisas o lateral holandês Karsdorp mais uma vez sai cambaleando de campo, parece coisa de bruxaria mesmo. Eu não sei o que pensar, mas a sensação é de involução profunda e ao que tudo indica o time parece estar em uma debandada de mais e mais incógnitas difíceis de se achar uma solução válida. As mesmas de outrora apagando incêndios e tocando o barco como pode a beira de um naufrágio. Triste realidade.  

Síntese: Corriere dello Sport

Pastori continuar um mistério. Os melhores são os Primavera. A Roma derrotada por 2 a 1 em Benevento; marca Bucri, classe 2001

Por: Gianluca Piacentini

Sem 13 jogadores empenhados em suas respectivas seleções, com De Rossi que ficou em Trigoria juntamente com Florenzi, Mirante e Perotti, o “resto” da Roma perdeu por 2 a 1 no Vigorito contra o Benevento: depois dos gols de Insigne e Asencio para o time de Christian Bucchi, fora o atacante da Primavera, Flavio Bucri, a deixar menos pesado a derrota romanista.

Pouquíssimas alternativas para Di Francesco, obrigado no primeiro tempo a escalar Fazio (que endossou a faixa de capitão da Lega Calcio) na posição de regente no 4-3-3. Depois dos experimentos táticos das primeiras rodadas, o retorno a módulo preferido pelo técnico giallorosso é a indicação mais importante em vista do jogo contra o Chievo, no retorno após a parada (Fifa).

Existia a curiosidade de entender em qual posição o técnico iria escalar Javier Pastore, meia ala contra o Atalanta (no 4-2-3-1) e contra o Milan (no 3-4-1-2). “El Flaco” voltou nos três do meio campo juntamente com Coric, mas não brilhou: o jogo com o Benevento não pode servir como teste de provação, mas a sensação é que no percurso de inserção tática esteja longe da conclusão e que o treinador não tenha encontrado ainda o enquadramento esperado.

Entre os “big” acumularam minutos Jesus, Marcano, Fazio, El Shaarawy e Santon: era esse o senso do amistoso solicitado de maneira veemente por Di Francesco. Ficou em campo ao contrário apenas por uma hora Karsdorp, tendo que abandonar o campo por causa de dores nas costas, depois de um contraste com Boaniuto. Para ele uma contusão e um bruto susto.

Foi ainda pior para outro giallorosso: o francês Gonalons, emprestado pela Sevilha, se lesionou no treinamento fraturando a perna direita. “Voltarei logo em forma”, o seu agradecimento na mídia social, por parte também dos romanistas, que lhe enviaram mensagens de rápida recuperação.

@PiaceGianluca

BENEVENTO (4-3-3): Gori (46' Puggioni); Gianfi, Antei (69' Sparandeo), Volta (46' billong), Letizia (46' Di Chiara); Bandinelli (46' Tello), Volpicelli, Nocerino (29' Del Pinto); Improta (46' Bonaiuto), Coda (46' Asensio), Ricci (46' Insigne). Téc.: Cristian Bucchi.

ROMA 433: Fuzato (89' Greco), Karsdorp (63' Bucri), Juan Jesus, Marcano, Santon, Coric (63' Bucri), Fazio, Pastore (89' Simonetti), El Shaarawy, Celar (80' Nigro), D’Orazio (57' Cangiano),

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz