NADA MAIS QUE A OBRIGAÇÃO
Um começo promissor, uma preguiça danada, e um segundo tempo com evolução. Assim pode ser descrito o embate entre Roma e Virtus Entella, pelas oitavas de final da Coppa Italia. Perotti, que começaria capitão, sentiu durante o aquecimento e não jogou. A Roma abriu o placar aos 18 segundos de jogo, para então jogar de modo modorrento e apático, até marcar o segundo gol, uma bela jogada finalizada por Marcano, ainda antes do final primeiro tempo. Na volta, foi possível notar melhorias, mas ainda assusta o comportamento do time, diante de um adversário tão apático. Na imagem, o nome do jogo: Schick, com 2 gols e uma assistência. Mesmo assim, ainda paira uma pecha de jogador de jogo pequeno; quando surgirá em momentos decisivos?

Síntese: Gazzetta

Duplo Schick, Roma nas quartas. No Olímpico tudo fácil para a equipe de Di Francesco: O tcheco em grande noite, marcam também Marcano e Pastore. As quartas será contra a Fiorentina.

Por: Andrea Pugliese

Desta vez nenhuma bobeira, a Roma supera a Entella por 4 a 0 e passa para as quartas de final, onde encontrará a Fiorentina (em Florença). O resultado final foi merecido como substancia apresentada, mesmo se por todo o primeiro tempo a equipe da Liguria teve mais que dignamente o campo, metendo sempre medo aos giallorossi em várias circunstancias. A Roma ao contrário passa grande com um ótimo Schick, autor de dois gols e uma assistência. Di Francesco dele queria isso, gol e qualidade. Os outros dois observados em especial, Pastore e Karsdorp, se apresentaram ao contrário em corrente alternada. Boa as pernas do holandês (com algumas ressalvas na defesa), aos trancos o argentino, que porém se deu ao luxo de voltar a marcar gol. No final, então, estréia de Riccardi, o talento que Mancini indicou para o futuro do futebol azzurro.

EQUILIBRIO E SCHICK - Di Francesco perde nos últimos instantes Perotti (lesão na perna esquerda no aquecimento) e dez minutos mais tarde também Juan Jesus (problema no joelho direito, visita médica ainda esta noite). Bom para ele que depois de 22 segundos de jogo Schick inventa um calcanhar magistral com o qual velozmente abre o placar do jogo. Mesmo porque a Entella joga e como demonstrando ser inclusive bem organizada. Boscaglia muda quase que de imediato, passando do 4-3-1-2 para o 4-4-2, com Nizetto que inventa algumas jogadas e Mota que quando pode ataca em profundidade. Como aos 16 minutos, quando com o campo aberto obriga Marcano fazer a falta, caso contrário teria ficado cara a cara com Olsen. Um minuto depois foi justamente o goleiro sueco a salvar a Roma com um dupla defesa, primeiro na cobrança de falta de Nizetto e depois no rebate de Eramo. Em suma, afastado os perigos a Roma volta a jogar e produzir também boas ocasiões como um chute de fora da área do lateral Karsdorp (defendido), um gol de cabeça de Marcano anulado por impedimento e outra cabeçada de Schick que passou por um sopro ao lado do gol. Em pleno acréscimo chega também o 2 a 0, com outro toque de calcanhar de Schick que desta vez deixa Marcano em condições, sobre o qual Paroni consegue apenas resvalar. O espanhol assim se torna o décimo sétimo marcador giallorosso na temporada.

DOMÍNIO GIALLOROSSO - O segundo tempo se abre com outra gema de Schick, que pede bola para Kluivert e com um golpe de sinuca encontra o angulo certo rasteiro. Sobre os 3 a 0 de fato a partida termina aqui, mesmo porque a Entella além de fisicamente esgotada se abate inclusive psicologicamente. Mesmo depois de cinco minutos na realidade o time da Liguria encontra o caminho para o gol com um arremate precioso de Mancosu (colocada de virada na trave oposta), anulado porém por impedimento. Mas esta é a última faísca dos visitantes, depois apenas espaço para Paroni, o número um biancoazzurro, que na sequência diz não novamente a Schick (duas vezes) e depois a Under e Kluivert. O goleiro da Entella tem que porém se render aos 29’ quando Pastore encontra o gol ao término de um belo um-dois com Kluivert. Antes de terminar espaço ainda para a estréia em absoluto na equipe principal de Alessio Riccardi, classe 2001, o primeiro millennial giallorosso a estrear com os grandes. Dez minutos de jogadas simples e um golpe de efeito aos 41’ que quase surpreende Paroni para aquele que seria o 5 a 0.

@Puglio11

ROMA (4231): Olsen, Karsdorp, Fazio, Juan Jesus (10' Marcano), Kolarov, Pellegrini (82' Riccardi), Cristante, Under (76' Zaniolo), Pastore, Kluivert, Schick

ENTELLA (4312): Paroni; Belli, Pellizzer, Baroni, Cleur; Eramo, Paolucci (26′ st Ardizzone), Nizzetto; Ajdorian (1′ st Icardi); Caturano (1'st Mancosu), Mota. (12 Massolo, 6 Crialese, 14 Puntoriere, 21 De Santis, 26 Di Cosmo, 13 Benedetti, 18 Petrovic, 28 Martinho, 34 Bonini) Téc.: Roberto Boscaglia

Cartões: 16’Marcano, 33’Eramo, 45’Baroni

F I C H A
avatar

© 2004 PORTALE ROMANISTA BRASIL UMA FÉ QUE NUNCA TEM FIM

uCoz