P R
Portale Romanista
Uma Fe' Que Nunca Tem Fim
ANO XIV
ROMA
CULT
ULTRAS
2018/19
TOTTI
BLOG
News A Roma bate a Juve e mantém viva a esperança Champions (12)Romero nos acréscimos afunda a Champions giallorossa (30)Tudo fácil para a Roma: tris no Cagliari e quarta posição (36)El Shaarawy não é suficiente para Roma (36)Dzeko mantém viva as esperanças Champions (38)De Rossi decisivo, grande golpe Champions (65)A defesa de Ranieri derrapa mas não afunda (62)A redenção de Claudio Ranieri (42)Roma, passo em falso para a Champions: nova derrota com a Spal (70)Ranieri sorri graças a Schick e ao Var (57)
P R Alcatéia
ciao, visitante

Login:
Password:


Total Online: 1
Visitantes: 1
Membros: 0
P R Fellas Brasil
P R Últimos Tópicos
Boteco Giallorosso
Nainggolan
Ei?
LENDAS DO PR
Kovacic
P R Blog
P R Tirinhas
P R Portaland
P R Store
P R Sondagem
Porque a Roma não evolui
Total de enquetes: 9
Serie A: Ranieri sorri graças a Schick e ao Var
Postado por: lupulus 12/03/2019 às 01:07

Os giallorossi passam com algumas dificuldades consideráveis os toscanos. Decide o tcheco depois de um gol de El Shaarawy e um contra de Jesus. No final anulado o 2 a 2 de Krunic por um toque com o braço de Oberlin. Travessão de Pasqual, expulso Florenzi no final.

ROMA - Com suspiros e alguns demasiados sustos, a Roma supera por 2 a 1 o Empoli e torna feliz o retorno de Ranieri no comando giallorosso. Uma vitória fundamental que consente a formação da capital de voltar a briga pela quarta posição, colocando de lado a eliminação na Champions. Foi por pouco porém que os toscanos tornassem isso um bruto susto. Apenas o Var, que assinalou para Maresca um toque com o braço de Oberlin na ocasião do gol de Krunic aos oitenta e seis minutos, impedindo de fato que o Empoli não levasse um ponto que de qualquer forma não teria merecido.

RANIERI, PROVAS DE REVOLUÇÃO

Ranieri tem certamente muito a trabalhar sobre uma equipe que continua a viver de medo, principalmente na gestão do resultado. No meio tempo, porém, fez ver que mudará diversas coisas concentrando o combate entre meio campo e defesa e sobre os dois atacantes de função. Apenas o tempo irá dizer se irá conseguir fazer com que time sofra menos gols de uma Roma que continua a ter dificuldades nos jogos com o gol inviolado. Obrigado a fazer as contas com as tantas ausências, entre suspensões (Fazio, Kolarov e Dzeko) e lesões (Pastore, Under, Pellegrini, De Rossi e Manolas), o novo técnico giallorosso recomeçou pelo 4-4-2 com Santon na lateral esquerda, Kluivert promovido como titular a direita, El Shaarawy na esquerda, Zaniolo ao lado de Schick na frente. No fronte oposto Iachini preferiu a segurança confirmando a mesma formação que empatou com o Parma.

EL SHAARAWY MARCA, JESUS SE ATRAPALHA

A Roma inicia com o pé correto, passando a frente na primeira conclusão a gol (9’): El Shaarawy recolhe um rebote curto da defesa azzurra depois de uma cobrança de escanteio e busca o angulo com um perfeito arremate em giro. Nem mesmo o tempo de comemorar e os giallorossi (12’) se complicam sozinhos: em uma cobrança de falta da meia cancha defensiva giallorossa de Pasqual, Silvestre se coloca como torre no meio para Jesus em uma intervenção ruim desviar de cabeça a bola contra a própria meta.

O ANGULO DE PASQUAL, SCHICK FAZ 2 A 1

A Roma acusou o golpe e por pouco não sofre o segundo nos pés de Pasqual que auferiu o angulo com uma cobrança dos 25 metros. Passado o perigo a equipe de Ranieri arregaça as mangas, começa a atacar melhor e, depois de ter falhado uma clamorosa ocasião com Zaniolo, desmarcado sozinho depois de um calcanhar de El Shaarawy, volta a ficar na frente do marcador depois de uma perfeita cabeçada de Schick em uma cobrança de falta da direita por parte de Florenzi.

O EMPOLI ASSUSTA OLSEN

No segundo tempo a Roma perde quase no inicio Zaniolo que se lesiona no púbis e Ranieri decide inserir Perotti na esquerda e El Shaarawy como segundo centro avante. Os giallorossi tentam gerir, tentando algumas ações com Kluivert e El Shaarawy, mas não incide. O Empoli toma coragem e desperdiça duas boas ocasiões com Krunic (arremate de direita desviado a favor da posição) e Dell’Orco (cabeçada que passa muito perto da trave). A complicar o final giallorosso pensa o arbitro Maresca colocando para fora aos 80’ com excessiva severidade Florenzi pelo segundo amarelo recebido. A Roma, cansada pelo jogo do Porto, perde também Schick com fadigas colocando em campo o jovem Celar que estréia executando a função de única ponta sofrendo contra um Empoli que tentou de tudo com os ingressos do ex Brighi, Uçan e de Oberlin.

KRUNIC EMPATA, MAS O VAR ANULA

Justo a recém entrada se rende protagonista no jogo se tornando o episódio-chave no final: um contraste entre Jesu serviu Caputo, bravo em servir na retaguarda Krunic que com um preciso arremate de direita bate do limite da área Olsen. Gol? Mas o que. Maresca, advertido por Massa pelo Var, vai controlar a ação e nota um toque de braço de Oberlin, do qual o Empoli havia entendido indiscutivelmente em vantagem, e anula. A Roma tira um suspiro de alivio. Mas se quiser chegar a quarta posição deverá decisivamente levantar a barra do jogo e da solidez.

Fonte: Jacopo Manfredi (La Repubblica)
P R Avalie
Portale Romanista Brasil © 2004